rss
email
twitter
facebook

26 janeiro 2007

A habilidade de falar


Mamíferos se comunicam por meio da fala. Dos macos em diante, nossos ancestrais, desde sempre, vêm fazendo algum tipo de som gutural para se comunicar. Cachorros latem. Vacas mugem. Até as girafas devem fazer algum tipo de ruído para se fazer entender. É instinto. É básico. É, por que não, primitivo. Então por que será que existem pessoas que insistem no silêncio? Ao invés de conversar para resolver suas pendengas emocionais, externar seus desagrados, recitar listas de palavrões a outrem, ou o que seja; elas preferem ficar mudas, soltando monossílabos áperos por entre os dentes. Por mais charmoso que possa parecer a pessoa fazer um tipo valendo-se da guerra do silêncio, esse comportamento infantil só piora tudo uma vez que retarda a solução do que está incomodando.
Não defendo que se deva falar qualquer coisa sem pensar. Mas sim que se sente para uma conversa civilizada quando algo perturba. Até que nossos cérebros venham equipados com bolas de cristal e leitores de pensamento, a fala é a única forma para nos comunicarmos e fazermos entender.

3 comentários:

Caco disse...

O silencio é bom para os momentos em que ele significa não uma fuga ao diálogo, mas uma maneira transcendental de comunicação.

Eu sou a favor da boa lista de palavrões e blasfêmias. Ponto.

rico disse...

DIO CAM!!!

rico disse...

...agora sim bem grande e com negrito...